Lucinda Maria Correia Lucas dos Santos Lopes
Vice-presidente do Conselho de Administração

Áreas funcionais:

  • Direção de Serviços de Sistemas de Informação
  • Direção de Serviços de Património, Compras e Logística
  • Coordenação INATEL Locais

 
Lucinda Maria Correia Lucas dos Santos Lopes, 57 anos, licenciada em História pela Universidade Lusíada, frequentou o Mestrado de Estudos Africanos do ISCSP/Universidade de Lisboa. Gestora Pública desde 2007 (E.G.E.A.C, E.M.), foi também dirigente municipal (C.M.L.) entre 1997 e 2006. Detém a categoria profissional de Técnica Superior Assessora Principal.
Desempenha funções de Vice-presidente da Fundação Inatel desde 25 de Maio de 2018.
Entre 2007 e 2018 exerceu funções de Vogal Executiva da E.G.E.A.C., E.M. (Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural), com competência nas áreas financeira, jurídica, administração geral, aprovisionamento, informática e sistemas de informação, logística e manutenção, reabilitação patrimonial e programação em espaço publico.
Entre 2006 e 2007, desenvolveu atividades de Assessoria na Direção Municipal de Cultura da Câmara Municipal de Lisboa.
Entre 1997 e 2006, exerceu funções de dirigente municipal na Câmara Municipal de Lisboa, tendo chefiado a Divisão de Gestão de Equipamentos Diversos (Gabinete de Estudos Olisiponenses, Casa Fernando Pessoa, Fonoteca Municipal, Videoteca Municipal, Casa da América Latina e Loja do Munícipe – Balcão Cultura) e a Divisão de Equipamentos Culturais (Teatro Municipal São Luiz; Teatro Municipal Maria Matos; Padrão dos Descobrimentos; Galerias de Exposições: Galveias, Mitra, Sala do Risco, Sala Cidade Lisboa, Sala Rio Tejo, Gymnásio e foyers dos Teatros; Ateliers Municipais para artistas plásticos: Coruchéus, Bairro da Boavista, Contador-Mor e Rego).
Em 2002, foi nomeada representante do Departamento de Cultura na Subcomissão de Equipamentos do CCO/PER, na coordenação e avaliação dos pedidos de cedência de espaços com fins culturais (ateliers, coletividades, sedes, etc.) e contactos com diversos organismos requerentes nomeadamente Associações e Instituições Culturais, Companhias de Teatro, Artistas Plásticos, Coletividades.
Entre 1998 e 2005, na C.M.L., presidiu e foi vogal de diversos júris de concursos de ingresso internos e externos: animação cultural, história, arqueologia, realização de espetáculos, secretariado e relações públicas, bibliotecas e documentação, musicologia, turismo, línguas e literatura modernas.
Em 1995, participou no “Congresso de Cultura”, realizado em Israel, promovido pelo Instituto Cultural de Israel – IberoAmerica, em representação de Portugal.
No âmbito da sua experiência profissional merecem também destaque, entre outras, as seguintes valências: gestão e planeamento das atividades culturais dos diversos equipamentos e respetiva organização administrativa e gestão de pessoal; coordenação de projetos culturais em colaboração com outras entidades, públicas ou privadas; elaboração de pareceres sobre protocolos para a utilização de espaços municipais vocacionados à apresentação de projetos na área cultural; organização e apoio a projetos no domínio da criatividade e interpretação artística; gestão dos prémios e concursos municipais de âmbito cultural; coordenação dos projetos de intercâmbio cultural com as Embaixadas com representação em Portugal; coordenação da apresentação de candidaturas aos vários programas comunitários abrangendo as áreas da Cultura e Reabilitação do Património Cultural.