As colónias de férias
Crianças regressando da praia, Colónia de Férias Marechal Carmona, Foz do Arelho, ca. 1945

Inaugurada a 31 de julho de 1938 na Mata da Caparica, a colónia de férias “um Lugar ao Sol”, passou por diversas fases de construção. Composta por 40 pavilhões, cada um com 10 quartos de casal e 4 pavilhões com 35 quartos para solteiros, foi sendo ampliada ao longo do tempo. As colónias balneares infantis destinavam-se essencialmente aos filhos dos sócios efetivos das Casas do povo. Destinada à população a sul do Mondego, a “Colónia Balnear Infantil Marechal Carmona”, na Foz do Arelho, foi inaugurada a 3 de julho de 1940, nos terrenos e palacete que pertenceram a Francisco de Almeida Grandella. Em 1958 foi alargada e convertida em colónia para adultos. Mais a norte do país, na Praia da Aguda (Vila Nova de Gaia) foi inaugurada em setembro de 1940 a “Colónia Balnear Infantil Doutor Oliveira Salazar”, destinando-se à população a norte do Rio Mondego. Compunha-se de um grande terreno de cultura, outro de recreio e de um grande edifício com todos os serviços. Deixou de funcionar em 1947. No ano em que a FNAT celebrou vinte e cinco anos de existência, em 1960, inaugurou no ex-Palace Hotel das Termas de São Pedro do Sul a “Colónia de Férias António Correia de Oliveira”, providenciando aos acidentados de trabalho um estabelecimento termal para a sua reabilitação. No mesmo ano foi inaugurada a “Colónia de Férias Dr. Pedro Teotónio Pereira”, em Albufeira, nas antigas instalações de uma fábrica de conservas. A FNAT abriu ainda um parque de campismo na Costa da Caparica, em 1950, e outro em 1960, no Cabedelo, em Viana do Castelo. O Hotel e Balneário termal de Entre-os-Rios foram inaugurados no ano de 1971.