A passagem a Fundação INATEL
A passagem a Fundação INATEL

Em 25 de junho de 2008, o INATEL deixou de pertencer à administração central do Estado. O diploma que concretizou a sua extinção instituiu uma nova fundação privada de utilidade pública — a Fundação INATEL — , que lhe sucede em todos os seus direitos e obrigações, bem como no exercício das suas competências e na prossecução das suas atribuições de serviço público, passando a assumir uma natureza jurídica mais consentânea com as caraterísticas e o tipo de atividades que prossegue.

A Fundação INATEL tem como fins principais a promoção das melhores condições para a ocupação dos tempos livres e do lazer dos trabalhadores, no ativo e reformados, desenvolvendo e valorizando o turismo social, a criação e fruição cultural, a atividade física e desportiva, a inclusão e a solidariedade social.

Estando presente em todo o Continente e Regiões Autónomas, com uma rede de vinte e três agências (antigas delegações), uma rede nacional de turismo e hotelaria social, o Teatro da Trindade e dois parques desportivos - 1º de Maio, em Lisboa e Ramalde, no Porto; os seus serviços desenvolvem programas de inclusão e solidariedade social e promovem e dinamizam a cultura popular e o desporto amador, através do apoio às atividades culturais, desportivas, etnográficas, folclóricas ou recreativas de cerca de 3000 associações de base empresarial ou local, inscritas como sócios coletivos da INATEL - os Centros de Cultura e Desporto (CCD’s).